Páginas

segunda-feira, 28 de abril de 2014

ELROND REFORJANDO NARSIL PARA TORNA-LA ANDURIL


ELROND REFORJANDO NARSIL PARA TORNA-LA ANDURIL
Caricatura feita com pintura digital em photoshop.
Não deixe de CURTIR a página NO FACEBOOK.


Elrond era um dos mais sábios e poderosos Elfos na Terra-média durante a Segunda e a Terceira Eras. Ele lutou contra Sauron, e foi em um Conselho organizado por Elrond que foi tomada a decisão de destruir o Um Anel e causar a queda do Senhor do Escuro. Elrond o Meio-elfo escolheu viver a vida imortal dos Elfos e ele deixou a Terra-média no final da Terceira Era, mas ele deixou para trás sua amada filha Arwen, que fez sua própria escolha.
Elrond e seu irmão gêmeo Elros nasceram 58 anos antes do fim da Primeira Era. Não há uma cronologia definitiva da Primeira Era, mas de acordo com uma versão do “The Tale of Years”, encontrado no The History of Middle-earth, vol. XI, The War of the Jewels, Elrond e Elros nasceram no ano 532, e a Primeira Era acabou no ano 590. Outras cronologias diferem.
O pai de Elrond e Elros foi Eärendil, o Marinheiro, e a mãe deles era Elwing. Eärendil era meio-elfo: sua mãe Idril era uma Elfa e seu pai Tuor era um Homem. A mãe de Elwing, Nimloth, era um Elfa e seu pai Dior era filho de Beren – um Homem – e Lúthien – a filha de um Elfo e uma Maia. Assim Elrond e Elros eram descendentes de Elfos e Homens e eram considerados entre os Meio-elfos, ou Peredhil.
Elrond e Elros nasceram na Terra-média. Sua família vivia próxima das fozes do Sirion, na costa sudoeste de Beleriand. Enquanto Eärendil estava ao Mar, os filhos de Fëanor atacaram os Portos do Sirion procurando a Silmaril que Elwing tinha em sua posse. Elrond e Elros foram feitos prisioneiros. Maglor, filho de Fëanor, teve pena deles e poupou-lhes a vida. É dito que ele tratou com carinho as duas crianças e os educou por um tempo, apesar de que, de acordo com outra história, os gêmeos foram deixados por seus captores em uma caverna atrás de uma cachoeira, onde eles mais tarde foram encontrados são e salvos Elwing escapou com a Silmaril e encontrou barco de Eärendil. Eles se desesperaram com a perda das duas crianças, e não retornaram para a Terra-média. Juntos eles navegaram para as Terras Imortais e Eärendil pediu a ajuda dos Valar na guerra contra Morgoth. No final da Primeira Era, as hostes dos Valar derrotaram Morgoth na Guerra da Ira.
O Vala Manwë decretou que Eärendil e Elwing, assim como Elrond e Elros e seus descendentes, teriam a chance de escolher se seriam contados entre os Elfos ou Homens. Eärendil e Elwing escolheram serem contados entre os Elfos, e permaneceram nas Terras Imortais. Eärendil navegou dos portos em seu barco com a Silmaril atada a sua fronte, e a luz da Estrela da Grande Esperança trazia conforto para os povos da Terra-média.
Elrond e Elros encararam a mesma escolha que seus pais. Elros escolheu o destino dos Homens e tornou-se assim um mortal. Ele tornou-se o primeiro Rei de Númenor, e dele descenderam os Reis de Númenor e de Gondor e Arnor, incluindo Aragorn, Rei Elessar. Elros viveu 500 anos e morreu no ano 442 da Segunda Era.
Elrond escolheu o destino dos Elfos. Ele era imortal e poderia escolher navegar através do Mar para as Terras Imortais, mas Elrond decidiu permanecer na Terra-média com o Alto Rei Gil-galad. Eles residiram em Lindon, uma terra a oeste das Montanhas Azuis que outrora fazia parte de Beleriand antes que a terra fosse arruinada na Guerra da Ira.
O servo de Morgoth, Sauron, sobreviveu à Guerra da Ira, e por volta de 1200 da Segunda Era ele esteve entre os Elfos em um belo disfarce e tentou persuadi-los. Gil-galad e Elrond não o reconheceram, mas não confiavam nele e se recusaram a admiti-lo em Lindon. A despeito dos avisos de Gil-galad e Elrond, Sauron foi aceito entre os Elfos ferreiros de Eregion, e sob sua instrução eles começaram a forja dos Anéis de Poder por volta de 1500. Por volta do ano 1600, Sauron forjou o Um Anel para controlar os demais, e Celebrimbor, o mestre ferreiro, percebeu que eles haviam sido enganados. Ele escondeu os Três Anéis dos Elfos de Sauron, confiando Vilya, o Anel do Ar, a Gil-galad.
Sauron declarou guerra aos Elfos e atacou Eregion em 1695. Elrond liderou uma força para impedi-lo, mas eles chegaram muito tarde e as forças de sauron eram muito grandes. Eregion foi destruída e Celebrimbor foi morto. Elrond reuniu os sobreviventes e fugiu para o norte, onde ele estabeleceu o refúgio de Valfenda, em 1697. As forças de Sauron invadiram Eriador, mas ele não foi capaz de conquistar Valfenda ou Lindon. Em 1700, uma frota chegou de Númenor e as forças de Sauron foram expulsas de Eriador.
Em 1701 os Elfos organizaram um Conselho e decidiram que Valfenda seria a sua fortaleza ao leste de Eriador. Elrond foi nomeado vice-regente de Gil-galad em Eriador. Gil-galad deve ter dado Vilya para Elrond por volta dessa época, ou então mais tarde durante a Guerra da Última Aliança.
A Última Aliança de Elfos e Homens foi formada no ano 3430 da Segunda Era para confrontar a ameaça crescente de Sauron. Em 3431 as forças de Gil-galad e Elendil se reuniram em Valfenda e de lá eles marcharam para Mordor. Elrond era o arauto de Gil-galad e atuou como seu comandante no campo de batalha.
Elrond lutou na Batalha de Dagorlad em 3434 e durante o Cerco de Barad-dûr. Ele estava nas ladeiras da Montanha da Perdição em 3441 quando Sauron foi derrubado por Gil-galad e Elendil, que morreram na luta. O filho de Elendil, Isildur, pegou o Um Anel de Sauron, e Elrond e Círdan o aconselharam a destruir o Anel nas chamas da Montanha da Perdição. Mas Isildur recusou e manteve o Anel para si.
Isildur foi morto por Orcs nos Campos de Lis, mas seu filho mais novo, Valandil, havia permanecido em Valfenda. Durante a Terceira Era, Elrond continuou a dar ajuda e refúgio aos Herdeiros de Isildur, que eram relacionados a ele pela descendência de seu irmão Elros. Elrond sabia que um dia um descendente de Isildur iria desempenhar um papel crucial no destino da Terra-média.
No ano 109 da Terceira Era, Elrond casou-se com Celebrían, a filha de Galadriel e Celeborn. Seus filhos gêmeos, Elladan e Elrohir, nasceram em 130, e sua filha Arwen nasceu em 241. Os filhos de Elrond encararam a mesma decisão que ele, entre serem contados entre Elfos ou Homens, mas eles puderam prolongar sua escolha por um longo período.Elrond era um mestre da sabedoria, e em Valfenda ele procurou preservar o conhecimento e a história dos Elfos e da Terra-média. Ele escreveu vários livros, e recebia com prazer em sua casa Elfos e outros visitantes que buscassem aprendizado, conselho e refúgio. Elrond era forte e poderoso, e também agradável. Em aparência, ele parecia não envelhecer e seu rosto era belo, e ele possuía cabelos negros e olhos cinza.
Por volta de 1300, o Senhor dos Nazgûl veio a Eriador e estabeleceu o domínio de Angmar. Em um momento, Valfenda foi sitiada por forças alinhadas com Angmar. Em 1409, as forças de Angmar atacaram os três reinos dos Dúnedain. Elrond trouxe ajuda de Valfenda e Lothlórien, e eles uniram forças com Círdan dos Portos Cinzentos apara ajudar os Dúnedain. O Senhor dos Nazgûl finalmente foi expulso de Eriador após a Batalha de Fornost em 1975, para a qual uma força de Valfenda foi liderada por Glorfindel.
Os Dúnedain tornaram-se um povo disperso e itinerante. Elrond educou os filhos dos Líderes dos Dúnedain em Rivendell em suas juventudes e manteve a salvo as relíquias da Casa de Isildur: O Cetro de Annúminas, a Elendilmir, o Anel de Barahir e os fragmentos de Narsil.
Em 2463 o Conselho Branco foi formado em resposta a ameaça de um poder maligno que ocupara Dol Guldur, na Floresta das Trevas. Elrond era um membro do Conselho Branco, junto de Galadriel, Círdan, Gandalf, o Cinzento e Saruman, o Branco – que tornou-se o líder do Conselho.
Em 2509 a esposa de Elrond, Celebrían, foi capturada por Orcs no Passo do Chifre Vermelho, enquanto ela viajava para Lothlórien. Ela recebeu um ferimento envenenado e foi atormentada pelo Orcs antes que seus filhos Elladan e Elrohir a encontrassem e resgatassem. Elrond foi capaz de curar seus ferimentos físicos, mas Celebrían continuou perturbada por suas memórias e pelo medo, e ela não poderia mais encontrar felicidade na Terra-média. Ela deixou a Terra-média em 2510 e navegou através do Mar para as Terras Imortais.
O Conselho Branco encontrou-se novamente em 2851. Gandalf havia visitado Dol Guldur e descobriu que a presença maligna era Sauron, e incitou o Conselho a atacá-lo. Mas Saruman disse ao Conselho que ele acreditava que o Um Anel havia sido levado rio abaixo em direção ao Mar, de onde ele não poderia ser recuperado, e que sem ele Sauron não poderia recuperar sua força. O Conselho concordou em continuar esperando e observando, mas Elrond tinha suas dúvidas.
“Mesmo assim – disse ele a Mithrandir -, tive o presságio de que o Um ainda será encontrado, que voltará a haver guerra, e que nessa guerra esta Era será encerrada. Na realidade, ela terminará numa segunda escuridão, a menos que sejamos salvos por algum estranho acaso, que meus olhos não conseguem enxergar.” O Silmarillion: “Dos Anéis de Poder e da Terceira Era,” p. 384
Em 2933 Elrond levou Aragorn à sua casa após o pai do garoto de dois anos ser morto por Orcs. Aragorn era o décimo sexto Líder dos Dúnedain, mas inicialmente Elrond não disse a ele sobre sua herança e chamou-o Estel, significando “esperança”. Elrond acabou amando Aragorn como seu próprio filho.
Elrond foi visitado por Gandalf e uma companhia de treze Anões e um Hobbit chamado Bilbo Bolseiro em Junho de 2941. Elrond identificou as espadas que Gandalf e Thorin haviam encontrado como Glamdring e Orcrist, e ele também descobriu as letras da lua no mapa da Montanha da Solitária que indicava o caminho para encontrar a porta secreta.
Mais tarde naquele ano, o Conselho Branco reuniu-se e decidiu atacar Dol Guldur. Sauron foi expulso, mas sem o conhecimento do Conselho ele retornou para Mordor no ano seguinte. Sauron declarou-se abertamente em 2951. O Conselho Branco descobriu que Sauron estava procurando o Um Anel, mas Saruman mentiu e assegurou-lhes que ele havia concluído que o Anel estava de fato no fundo do Mar e que Sauron jamais o encontraria.
Quando Aragorn completou 20 anos, Elrond revelou-lhe que ele era o herdeiro de Isildur. Ele ficou satisfeito por Aragorn ter crescido em força e nobreza e viu que na hora apropriada ele se tornaria mais sereno. Elrond deu a Aragorn os fragmentos de Narsil e o Anel de Barahir, mas ele manteve o Cetro de Annúminas, que era o principal símbolo de realeza no Reino do Norte, pois Aragorn ainda não estava pronto para ser Rei.
A filha de Elrond, Arwen, estava visitando seu pai nessa época, e quando Aragorn a viu, apaixonou-se por ela. Elrond percebeu isso, e ficou perturbado, pois ele sabia que se Arwen se casasse com Aragorn ela deveria escolher o destino dos Homens e abrir mão de sua imortalidade, e assim, no final, Elrond teria que se separar de sua filha para sempre.
“Mas não haverá escolha para Arwen, minha amada filha, a não ser que você, Aragorn, filho de Arathorn, se coloque entre nós e faça com que um de nós dois, você ou eu, sofra uma separação amarga, que ultrapassará o fim do mundo.Você ainda não compreende o que deseja de mim.”  Apêndice A do Senhor dos Anéis: “A história de Aragorn e Arwen,” p. 347
Aragorn e Arwen noivaram em 2980. Quando Elrond soube, ele sentiu pesar, e falou a Aragorn sobre o assunto pela última vez:
“Meu filho, aproximam-se os anos em que a esperança vai desaparecer, e além deles pouco está claro para mim. E Agora uma sombra paira entre nós. Talvez assim tenha sido prescrito, que por minha perda o poder dos reis dos homens possa ser restaurado. Portanto, embora o ame, digo-lhe isto: Arwen Undómiel não diminuirá a dádiva de sua vida por uma causa menor. Ela não será a noiva de ninguém que não seja o rei de Gondor e de Arnor. Para mim, até mesmo nossa vitória só poderá trazer tristeza e separação – mas para você poderá trazer esperança de alegria por um tempo. É uma pena, meu filho! Receio que para Arwen o destino dos homens possa ser difícil no final.”  Apêndice A do Senhor dos Anéis:“A história de Aragorn e Arwen,” p. 348
Bilbo veio viver em Valfenda como um convidado de Elrond em 3002, e em 3009 Elrond exigiu que Arwen retornasse de Lothlórien para casa. Os perigos a leste das Montanhas da Névoa estavam aumentando conforme o poder de Sauron crescia.
Em 8 de Outubro de 3018 chegou a Valfenda, através de Gildor Inglorion, a notícia de que Frodo Bolseiro estava indo para lá perseguido pelos Nazgûl. Glorfindel foi enviado para encontrá-lo no dia seguinte. Frodo foi perseguido até o Vau do Bruinen em 20 de Outubro, e Elrond fez as águas do rio se levantarem contra os Nazgûl e eles foram arrastados pela inundação. Seus cavalos foram mortos e suas formas foram perdidas, e eles retornaram para Mordor vazios e sem forma.
Frodo havia sido gravemente ferido pelo Senhor dos Nazgûl. Elrond cuidou dele dia e noite até que, por fim, na noite de 23 de Outubro ele encontrou um fragmento da lâmina de Morgul no ombro de Frodo, fazendo seu caminho em direção ao coração. Elrond o removeu e Frodo acordou no dia seguinte. No anoitecer daquele dia Elrond levou Frodo para ver Bilbo no Salão do Fogo.
Quando Boromir sugeriu que eles deveriam usar o Um Anel contra Sauron, Elrond recusou-se a tomá-lo pois ele sabia que o Anel iria corromper qualquer um que tentasse usá-lo. Elrond disse que estava claro para ele que o Anel precisaria ser jogado nas chamas da Montanha da Perdição, apesar de ele acreditar que quando o Um Anel fosse destruído, os Três Anéis dos Elfos iriam perder seu poder e tudo que eles construíram iria esvair-se. Frodo voluntariou-se para cumprir a missão.Em 25 de Outubro o Conselho de Elrond foi organizado. Entre os presentes estavam Frodo e Bilbo, Aragorn, Gandalf, Glorfindel, o conselheiro-chefe de Elrond, Erestor, Galdor dos Portos Cinzentos, Glóin e Gimli da Montanha Solitária, Legolas da Floresta das Trevas e Boromir de Gondor. Elrond disse que apesar dele não os ter convocado, estava predeterminado que aqueles reunidos no Conselho deveriam decidir o destino do Um Anel que Frodo carregava.
Elrond ergueu levantou os olhos e olhou para ele, e Frodo sentiu o coração devassado pela agudeza daquele olhar. “Se entendo bem tudo o que foi dito” – disse ele -, “penso que essa tarefa é destinada a você, Frodo; e que, se você não achar o caminho, ninguém saberá. É chegada a hora do povo do Condado, quando deve se levantar de seus campos pacíficos para abalar as torres e as deliberações dos Grandes. Quem, entre todo os Sábios, poderia prever isto? Ou, se são mesmo sábios, por que deveriam esperar sabe-lo, até que a hora chegasse?”
“Mas o fardo é pesado. Tão pesado que ninguém poderia impô-lo a outra pessoa. Não o imponho a você. Mas se o toma livremente, direi que sua escolha foi acertada; e se todos os poderosos amigos-dos-elfos de antigamente, Hador, e Húrin, e Túrin, e o próprio Beren, estivessem reunidos juntos, haveria um lugar para você entre eles.” A Sociedade do Anel: “O Conselho de Elrond,” p. 286
Elrond escolheu nove companheiros para acompanhar Frodo em sua missão. O primeiro que ele nomeou foi Sam Gamgi, o servo fiel de Frodo que havia entrado no Conselho sem ser convidado. Ele selecionou outros para representar cada um dos Povos Livres da Terra-média: Gimli para os Anões, Legolas para os Elfos, e Aragorn e Boromir para os Homens. Gandalf também foi, e o Mago sugeriu que Merry Brandebuque e Pippin Tûk também fossem admitidos. Elrond pretendia enviar os dois jovens Hobbits de volta para o Condado, que ele temia estar em perigo, mas no final ele concordou com Gandalf. A Sociedade deixou Valfenda em 25 de Dezembro de 3018.
Em Fevereiro de 3019 os filhos de Elrond, Elladan e Elrohir, partiram para o sul para se juntarem a Aragorn. Elrond enviou uma mensagem para Aragorn, lembrando-lhe de uma antiga profecia a respeito das Sendas dos Mortos, e Aragorn tomou aquela escura estrada para prevenir que os Corsários atacassem Minas Tirith. Os filhos de Elrond o acompanharam e lutaram na Batalha dos Campos do Pellenor.
Quando Gandalf propôs que eles marchassem para o Portão Negro para dar a Frodo tempo para completar sua missão, os filhos de Elrond disseram que seu pai havia dado o mesmo conselho. Elladan e Elrohir partiram com o Exército do Oeste e lutaram na Batalha do Morannon em 2 de Março de 3019, até que o Anel foi destruído e o domínio de Sauron caiu.
Aragorn foi coroado Rei em 1º de Maio, e Elrond então estava preparado para permitir que Arwen se casasse com ele como havia prometido. Elrond e Arwen partiram naquele mesmo dia de Valfenda e chegaram a Minas Tirith na Véspera do Dia do Meio do Ano (1º Lite). Elrond presenteou Aragorn com o Cetro de Annúminas, significando a Realeza de Arnor e deu a mão de sua filha para Aragorn. Aragorn e Arwen casaram se Dia do Meio do Ano.
Após o funeral do Rei Théoden em Rohan, Elrond e Arwen subiram as montanhas próximas a Edoras. Lá eles deram-se despedidas finais um ao outro, pois eles jamais se veriam novamente. Elrond deixaria a Terra-média com os Elfos para viver nas Terras Imortais, mas Arwen havia escolhido o destino dos Homens e iria permanecera na Terra-média até morrer. E escolha de Elladan e Elrohir não é conhecida, mas eles permaneceram na Terra-média por algum tempo na Quarta Era.
Elrond retornou para Valfenda com Gandalf e os Hobbits. Quando Frodo partiu para casa, Elrond o abençoou. Elrond percebeu que Frodo havia sido ferido profundamente e não poderia descansar na Terra-média. Ele disse a Frodo para procurar por ele nas florestas no outono.
Em 22 de Setembro de 3021 Elrond encontrou Frodo na Ponta do Bosque no Condado, e a Última Cavalgada dos Guardiões dos Anéis parte para os Portos Cinzentos. Elrond viveu na Terra-média por 6.520 anos e havia chegado a hora dele partir. Em 29 de Setembro Elrond navegou através do Mar para as Terras Imortais, onde ele encontrou-se com sua esposa Celebrían.
Texto retirado do blog VALINOR
onde se pode encontrar muito
 mais informações. 

sábado, 12 de abril de 2014

ECOLOGICAMENTE SUSTENTÁVEL

https://www.facebook.com/maneEninguem  

Mané & Ninguém em: ECOLOGICAMENTE SUSTENTÁVEL
http://mane-ninguem.blogspot.com/

Em tempos que os eletrônicos são 'indispensáveis' na vida do homem urbano e o tablet é a mais nova mania , é bom pensar se essa novidade é realmente boa ou uma criação tal qual um 'presente de grego'. Nas redes sociais se vê muitos com ideias geniais de se substituir o caderno e os livros pelo notebook e o tablet a fim de modernizar o ensino, mas será essa uma boa ideia realmente ou mais uma estratégia mercadológica para as grandes empresas arrecadarem mais dinheiro? 

Artigo sobre o lixo eletrônico:
http://revistaplaneta.terra.com.br/secao/meio-ambiente/lixao-eletronico

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Mané & Ninguém em: OBSERVANDO A EVOLUÇÃO DO PAPEL DA MULHER NA MÍDIA BRASILEIRA

Mané & Ninguém em: OBSERVANDO A EVOLUÇÃO DO PAPEL DA MULHER NA MÍDIA BRASILEIRA
Independente de 26% ou 65%, é fato que as conquistas que as mulheres tiveram na sociedade são frutos de muitas lutas, e ainda se tem muito pela frente a ser conquistado. 
Na tira de hoje Mané & Ninguém retratam um dos problemas que tem boa responsabilidade pela violência contra a mulher: a forma que a mídia brasileira trata a figura feminina, caso este que esta enraizado no imaginário popular há séculos e por isso é tão difícil combater. Ainda hoje a figura da mulher é vista na mídia como um objeto de consumo masculino.

Para quem quer saber um pouco mais, confiram as notícias:


Arquivo do blog